ATENÇÃO



Querido companheiro de profissão, se você se interessar por alguma postagem e não conseguir uma boa impressão envie-me e-mail que ficarei feliz em compartilhar. Abraço.
profclaugeo@yahoo.com.br

Atividades de Historia e Geografia

Nos sites abaixo você encontra todos os meus arquivos em doc word.

Visite


Entre para o grupo

Curriculo Básico Comum(CBC)

Encontre aqui o CBC, Orientações pedagógicas para suas aulas e Roteiros de atividades.
Clique no link abaixo:
http://crv.educacao.mg.gov.br/sistema_crv/index2.aspx??id_objeto=23967

11 de out de 2011

Interpretação de Texto


A INCAPACIDADE DE SER VERDADEIRO

Paulo tinha fama de mentiroso. Um dia chegou em casa dizendo que vira no campo dois dragões-da-independência cuspindo fogo e lendo fotonovelas.
A mãe botou-o de castigo, mas na semana seguinte ele veio contando que caíra no pátio da escola um pedaço de lua, todo cheio de queijo. Desta vez Paulo não só ficou sem sobremesa como foi proibido de jogar futebol durante quinze dias.
Quando o menino voltou falando que todas as borboletas da terra passaram pela chácara de Dona Elpídia e queriam formar um tapete voador para transportá-lo ao sétimo céu, a mãe decidiu levá-lo ao médico. Após o exame, o Dr. Epaminondas abanou a cabeça:
– Não há nada a fazer, dona Colo. Este menino é mesmo um caso de poesia.
Andrade, Carlos Drummond de. A incapacidade de ser verdadeiro. 


1. Quando Paulo chegou em casa dizendo que vira no campo dois dragões-da-independência cuspindo fogo e lendo fotonovelas, a mãe:
(a) colocou-o de castigo.
(b) deixou-o sem sobremesa.
(c) levou-o ao médico.
(d) proibiu-o de jogar futebol.

2. A mãe de Paulo ficou preocupada com o filho porque ele:
(a) machucou-se no pátio da escola.
(b) contava histórias criativas.
(c) desistiu de jogar futebol.
(d) queixou-se do médico.

3. A preocupação da mãe que a fez levar o filho ao médico deveu-se à:
(a) fábula dos dragões-da-independência cuspindo fogo e lendo fotonovelas.
(b) história do pedaço de lua, cheio de queijo no pátio da escola.
(c) passagem das borboletas pela chácara de dona Elpídia formando um tapete voador.
(d) imaginação do menino ao criar suas histórias fantasiosas.

4. O parecer do médico “este menino é mesmo um caso de poesia”, sugere que Paulo:
(a) agia dessa forma pelo excesso de castigo.
(b) brincava com coisas verdadeiras.
(c) era um menino imaginativo e criativo.
(d) estava precisando do carinho familiar.

5. Dona Coló castigava o filho porque acreditava que ele estivesse:
(a) brincando.
(b) sonhando.
(c) mentindo.
(d) teimando.

6. O texto sugere que :
(a) mentira e teimosia andam juntos.
(b) mentira e fantasia são sinônimos.
(c) mentira e sonho parecem brincadeiras.
(d) mentira e imaginação são diferentes.

  
SAPOS, RÃS E PERERECAS

Antes de se tornarem adultos, os sapos são girinos no início da vida. A transformação pela qual eles passam também ocorre com outros anfíbios e insetos, e tem nome: metamorfose!
Sapos, rãs e pererecas, por exemplo, passam por uma transformação extraordinária: seu corpo, seu comportamento e até a forma como esses animais se relacionam com o meio em que vivem passam por uma reestruturação. Não que eles virem príncipes ao serem beijados por uma princesa. Mas a mudança é tão radical quanto à das fábulas. Afinal, os girinos são larvas de sapos, rãs ou pererecas e não se parecem em nada com os bichos que irão se tornar quando adultos!
Suas características comprovam isso: em geral, os girinos são aquáticos. Estão em riachos, lagos, poças ou na água acumulada em bromélias, um tipo de planta. Têm, acredite, algo em comum com os peixes. Sim, com peixes!!! Adaptados a viver na água, os girinos possuem, no corpo, estruturas semelhantes às desses animais, como brânquias, que retiram o oxigênio da água. Por meio delas, eles respiram!
Uma das grandes diferenças entre girinos, sapos, rãs e pererecas está na boca. Embora o formato dela varie com a alimentação e a espécie, muitos girinos têm um bico feito da mesma substância que forma as unhas e os dentes. Basta que a fase de girino chegue ao fim, para que a larva se pareça cada vez mais com o sapo, com a rã ou com a perereca que será no futuro!
Sapos, rãs e pererecas. Ciência hoje das crianças, Rio de Janeiro, out. 2003. 
1. Antes de se tornarem adultos, sapos, rãs e pererecas são:

(a) animais que vivem muito.
(b) bichos que não se transformam.
(c) filhotes de peixes de rio.
(d) larvas chamadas girinos.

2. Em “... E até a forma como esses animais se relacionam”, a expressão esses animais está substituindo:
(a) rãs e pererecas.
(b) rãs e sapos.
(c) sapos e pererecas.
(d) sapos, rãs e pererecas.

3. Em “sapos, rãs e pererecas passam por uma transformação extraordinária”, a palavra grifada significa:
(a) fantástica.
(b) muito leve.
(c) normal.
(d) pequena.

4. O texto trata:
(a) da maneira como muitos filhotinhos vivem nas bromélias.
(b) da mudança profunda que acontece na vida de alguns animais.
(c) do modo como vivem principalmente os animais aquáticos.
(d) dos alimentos preferidos dos sapos.

5. Os girinos podem viver na água porque têm:
(a) bico.
(b) brânquias.
(c) pulmões.
(d) unhas.

6. O texto que você leu:
(a) ensina como alguns bichos se transformam.
(b) explica como são os sapos dos contos de fadas.
(c) informa como sobrevivem sapos, rãs e pererecas.
(d) mostra como os sapos conseguem virar príncipe