ATENÇÃO



Querido companheiro de profissão, se você se interessar por alguma postagem e não conseguir uma boa impressão envie-me e-mail que ficarei feliz em compartilhar. Abraço.
profclaugeo@yahoo.com.br

Atividades de Historia e Geografia

Nos sites abaixo você encontra todos os meus arquivos em doc word.

Visite


Entre para o grupo

Curriculo Básico Comum(CBC)

Encontre aqui o CBC, Orientações pedagógicas para suas aulas e Roteiros de atividades.
Clique no link abaixo:
http://crv.educacao.mg.gov.br/sistema_crv/index2.aspx??id_objeto=23967

10 de out de 2011

DESCRITORES DE GEOGRAFIA 9º ano DO ENSINO FUNDAMENTAL


DESCRITORES DE GEOGRAFIA  9º ano DO ENSINO FUNDAMENTAL
A Geografia de 5ª a 8ª série: da organização à produção do espaço geográfico
Nesta etapa, o aluno vivencia um momento da passagem do seu ser infantil para o ser
adolescente, o que implica mudanças socioafetivas e cognitivas. Rompendo com seus “cordões
umbilicais”, assume uma postura mais crítica e autônoma diante do mundo que o cerca. Desta
forma, assume compromissos coletivos, ampliando sua capacidade de socialização. Seu desejo de
ser ouvido e de participar das decisões do grupo se faz sentir, por exemplo, na existência de
organizações estudantis nas escolas (como os grêmios) ou mesmo na criação e execução de
trabalhos coletivos, como feiras de ciências, estudos do meio, maratonas, gincanas, campeonatos
esportivos ou festas. O espaço da escola não se resume mais apenas à sala de aula e ao pátio.
Por um lado, a curiosidade do seu ser criança o impulsiona para a busca de um leque maior
de conhecimentos de toda ordem. O trabalho pedagógico desenvolvido nas séries iniciais amplia
seus horizontes, levando-o à descoberta, exploração e maior compreensão do mundo que o cerca.
Por sua vez, o seu ser adolescente o direciona para uma postura mais questionadora, que vai lhe
conferindo uma condição latente de análise e julgamento das coisas. É assim que, ao término da 8a
série, espera-se que o aluno-cidadão possa se encontrar num estado de prontidão para raciocínios
mais complexos e elaborados de observação, interpretação, análise e síntese da realidade.
Nesse sentido, o ensino da Geografia contribui para que esse processo de ensinoaprendizagem
seja enriquecido por meio da ampliação do seu vocabulário, do desenvolvimento de
terminologia específica, atribuindo à sua linguagem, tanto escrita como oral, um certo rigor
científico. É assim que este aluno vai aprendendo a reconhecer e discernir o que é do âmbito da
cultura geral e o que é da especificidade da Geografia e as grandes perguntas que esta disciplina se
propõe refletir, elucidar e responder sobre: a organização e produção do espaço brasileiro e mundial;
a divisão internacional e territorial do trabalho; o desenvolvimento da ciência e tecnologia e os fluxos
populacionais e econômicos; a relação sociedade/natureza no Brasil e no mundo e a questão
ambiental; e as formas de representação do espaço geográfico.
Quando o aluno incorpora estes conhecimentos, estamos diante do sujeito perguntador tão
necessário para o trabalho pedagógico do Ensino Médio, onde exercita-se a capacidade de
questionamento e argumentação.
A sistematização dos conteúdos da Geografia, nesta trajetória, passa das noções básicas
já trabalhadas à elaboração de conceitos e categorias fundamentais, progressivamente. Partindo do
lugar onde vive, o exercício é o de articular o particular e o geral, que se manifestam
simultaneamente. Assim, compreender a realidade brasileira, por exemplo, exige sua
contextualização nos processos, ao mesmo tempo, internacionais, regionais e locais.
Esta compreensão só se torna possível mediante uma redefinição do papel do aluno no
processo de ensino-aprendizagem. Como construtor destes nexos, o aluno-cidadão pratica um
trabalho escolar onde a atitude da pesquisa permite a delimitação, para ele, do objeto da própria
Geografia.
1. DIVISÃO INTERNACIONAL E TERRITORIAL DO TRABALHO
1.1 Os sistemas de produção no espaço mundial e as transformações no mundo
do trabalho
D1 - Compreender a transformação do espaço mundial provocada pela Divisão
Internacional do Trabalho. (O)
D2 - Indicar as características do sistema de produção capitalista ou socialista. (B)
D3 - Analisar como diferentes lugares se relacionam a partir da divisão territorial do
trabalho. (G)
D4 - Reconhecer que a produção industrial exige cada vez mais quantidade versus
velocidade, a partir de uma charge ou história em quadrinhos. (B)
D5 - Relacionar a interdependência entre as diversas áreas industriais e as produtoras de
matérias-primas. (O)
D6 - Identificar os países que mais investem em ciência e tecnologia, através de um
mapa. (B)
D7 - Interpretar um gráfico de barras sobre investimentos em ciência e tecnologia,
considerando a interdependência entre os países. (O)
1.2 Agentes do Sistema Mundial: os Estados-nação, Organismos Internacionais,
as grandes corporações empresariais e as Organizações Não-
Governamentais (ONGs)
D8 - Descrever o funcionamento e atribuições da ONU, Banco Mundial, OEA e de seus
principais organismos. (B)
D9 - Justificar a criação de organizações não-governamentais para o exercício da
cidadania, a partir da leitura e interpretação de textos. (O)
2. O PROCESSO DE INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
2.1 O espaço urbano-industrial
D10 - Relacionar a organização do espaço às transformações da indústria artesanal em
indústria manufatureira. (O)
D11 - Relacionar a organização do espaço às transformações da indústria manufatureira
para a maquinofatureira. (O)
D12 - Compreender a importância do processo de industrialização para a caracterização
do mundo contemporâneo, a partir de um texto ou charge. (O)
D13 - Reconhecer as transformações provocadas na cidade pelo processo de
industrialização, através de charge, letras de música ou poesias. (B)
2.2 Fluxos migratórios
D14 - Associar a questão da migração campo-cidade no mundo capitalista industrializado
com a mecanização do campo, observando uma gravura. (O)
D15 - Diferenciar a migração campo-cidade do mundo capitalista industrializado com o
ocorrido na América Latina, através de uma charge ou poesia. (O)
2.3 Problemas sociais urbanos e do campo
D16 - Compreender o processo de metropolização no Brasil e no mundo. (O)
D17 - Comparar processos de reforma agrária ocorridos em alguns países, a partir da
leitura de pequenos textos. (O)
D18 - Associar o problema do emprego e da expansão da economia informal às
transformações da cidade provocadas pelo processo de industrialização. (O)
D19 - Associar o problema da moradia com as transformações da cidade provocadas pelo
processo de industrialização. (O)
D20 - Associar o problema da violência urbana com as transformações da vida urbana. (O)
D21 - Associar o problema da ocupação das áreas de risco com as transformações
provocadas pelo crescimento das cidades. (O)
3. O MAPA POLÍTICO, SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS E AGRUPAMENTOS
REGIONAIS
3.1 A formação dos Estados Nacionais, os movimentos étnicos e religiosos
D22 - Identificar, através do planisfério, as áreas de predomínio das principais religiões do
mundo (islamismo, cristianismo, judaísmo, hinduísmo e budismo). (B)
D23 - Concluir, a partir de um texto, as características culturais de um país islâmico. (G)
3.2 Os países africanos
D24 - Reconhecer o papel da colonização na organização do espaço africano. (B)
D25 - Descrever as desigualdades regionais dos países africanos, do ponto de vista étnico
e cultural. (O)
D26 - Descrever as desigualdades regionais dos países africanos, do ponto de vista
socioeconômico. (O)
3.3 Os países latino-americanos
D27 - Relacionar a configuração territorial da América Latina com o processo de
colonização da América espanhola e portuguesa. (O)
D28 - Descrever as desigualdades regionais dos países latino-americanos, do ponto de
vista socioeconômico, a partir dos dados organizados em tabelas. (O)
D29 - Explicar os objetivos do MERCOSUL. (O)
3.4 Os EUA e o Canadá
D30 - Descrever o processo de expansão territorial dos EUA. (B)
D31 - Explicar os mecanismos de dominação dos EUA nos países latino-americanos, a
partir da leitura de textos. (G)
D32 - Identificar em mapas as áreas industriais dos EUA e do Canadá. (B)
D33 - Compreender o espaço agrário americano organizado em cinturões agroindustriais
(belts). (O)
D34 - Estabelecer relações entre a economia canadense e mexicana com a economia
americana. (O)
D35 - Explicar os objetivos do NAFTA. (G)
3.5 Os países europeus
D36 - Descrever as desigualdades regionais dos países europeus, do ponto de vista étnico
e cultural. (O)
D37 - Analisar as desigualdades regionais dos países europeus, do ponto de vista
socioeconômico, a partir dos dados organizados em tabelas. (O)
D38 - Explicar os objetivos da União Européia. (G)
3.6 A Rússia e os países do Leste Europeu
D39 - Interpretar as transformações recentes do leste europeu. (O)
D40 - Interpretar, a partir de textos, o processo de constituição, crise e desintegração da
URSS. (O)
3.7 A China
D41 - Descrever as desigualdades regionais na China, do ponto de vista socioeconômico, a
partir dos dados organizados em tabelas. (O)
D42 - Descrever as desigualdades regionais na China, do ponto de vista étnico e cultural,
utilizando-se de mapas. (O)
3.8 O Japão
D43 - Compreender as transformações econômicas do Japão no pós-guerra, a partir da
leitura de textos. (O)
4. RELAÇÃO SOCIEDADE/NATUREZA
4.1 Domínios naturais: características, dinâmicas e processos
D44 - Relacionar os índices pluviométricos, umidade e temperaturas elevadas com a
diversidade da vegetação das florestas tropicais e equatoriais. (O)
D45 - Diferenciar as florestas de coníferas das florestas temperadas, comparando
gravuras. (O)
D46 - Associar as características destas florestas com a utilização intensiva pela indústria
madeireira. (O)
D47 - Descrever as características do domínio das tundras ou dos desertos, observando
gráficos de temperatura e gravuras. (O)
D48 - Compreender as conseqüências dos desmatamentos, em larga escala, nos
domínios das florestas tropicais. (O)
D49 - Associar o uso intensivo do solo nas áreas de transição entre o deserto do Saara e as
savanas com o processo de desertificação. (O)
D50 - Estabelecer relação entre a bacia do rio Huang Ho e o Yang Tsé Kiang, na China, com
a agricultura irrigada. (O)
D51 - Estabelecer relações entre o rio Nilo e a vida socioeconômica do Egito. (O)
D52 - Estabelecer relações entre a rede hidrográfica européia e suas hidrovias. (O)
D53 - Estabelecer relações entre os rios Mississipi, Missouri e Tennessee com a vida
socioeconômica do centro-sul dos EUA. (O)
D54 - Comparar, observando o planisfério, as principais áreas de reserva e produção de
petróleo, cobre, ferro, manganês, carvão, bauxita e cassiterita. (O)
D55 - Comparar os processos de produção de energia da termelétrica e da hidrelétrica. (O)
D56 - Identificar os países, a partir de gráficos, quanto à utilização das diversas fontes de
energia. (B)
D57 - Analisar as condições ambientais necessárias para a construção de uma
hidrelétrica. (G)
D58 - Reconhecer os riscos ambientais das usinas nucleares ou das usinas hidrelétricas. (B)
D59 - Reconhecer a necessidade de preservação da biodiversidade da Amazônia. (B)
4.2 Exploração dos oceanos
D60 - Compreender as características físicas dos oceanos. (O)
D61 - Localizar no planisfério as principais correntes marítimas. (B)
D62 - Relacionar as principais correntes marítimas com a atividade pesqueira. (O)
5. O BRASIL E SUA REGIONALIZAÇÃO
5.1 O processo de formação territorial
D63 - Relacionar a concentração socioeconômica do Brasil nas áreas próximas ao
Atlântico com o processo de colonização do país. (O)
D64 - Associar a atividade da pecuária e da mineração com o processo de interiorização do
país. (O)
D65 - Analisar as transformações do território brasileiro decorrentes do desenvolvimento do
plantio da cana-de-açúcar e do café. (O)
5.2 Relação sociedade/natureza
D66 - Comparar as características dos domínios naturais do Brasil. (O)
D67 - Comparar os diferentes usos das bacias hidrográficas brasileiras a partir de suas
características físicas. (O)
D68 - Analisar a importância política e econômica da conservação da biodiversidade no
território brasileiro. (G)
D69 - Relacionar as atividades extrativas com as áreas dos diversos domínios naturais,
através de comparação de gravuras (Percy Lau, por exemplo). (O)
D70 - Identificar, no mapa, as principais bacias hidrográficas brasileiras e seu
aproveitamento econômico (Tietê-Paraná, Paraguai, Madeira, Solimões-Amazonas,
São Francisco). (B)
5.3 Divisão territorial do trabalho, o processo urbano-industrial e as
desigualdades socioespaciais
D71 - Reconhecer as transformações socioeconômicas brasileiras a partir do processo de
industrialização e urbanização, através de textos, letras de música, charges,
histórias em quadrinhos. (O)
D72 - Relacionar a expansão do modo de vida urbano no Brasil com o surgimento e
fortalecimento de movimentos sociais (sindicalismo, associação de moradores,
movimento estudantil, mulheres, negros), observando fotografias e lendo reportagens
de jornais e revistas. (O)
D73 - Reconhecer as transformações ocorridas no campo brasileiro através da
modernização agrícola, utilizando-se de tabelas e gráficos. (O)
D74 - Localizar, em mapas, as principais áreas produtoras de trigo, soja, cana-de-açúcar,
café, laranja, milho, feijão, arroz ou mandioca. (B)
D75 - Analisar os aspectos positivos e negativos do Proálcool. (G)
D76 - Associar a produção agroindustrial com a expansão da mão-de-obra assalariada no
campo (bóia-fria), através de textos, charges e letras de música. (O)
D77 - Compreender, através do uso de mapas, a distribuição das principais áreas de
criação bovina, suína e de aves. (O)
D78 - Identificar, a partir de mapas viários, os fluxos de mercadorias e pessoas pelo
território brasileiro. (B)
D79 - Avaliar a importância dos portos e aeroportos para a economia brasileira. (G)
D80 - Avaliar a importância do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) na
luta pela reforma agrária no Brasil. (G)
D81 - Descrever as desigualdades regionais do Brasil, do ponto de vista socioeconômico
ou étnico-cultural, a partir dos dados organizados em tabelas ou mapas. (O)
6. FORMAS DE REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA ESPAÇO-TEMPORAL
6.1 Sistema de referência: coordenadas geográficas
D82 - Identificar no planisfério os paralelos e os meridianos ou hemisférios. (B)
D83 - Identificar no mapa, dadas as coordenadas geográficas de um lugar, a sua
localização. (B)
D84 - Determinar as coordenadas geográficas de um determinado lugar, observando um
mapa. (O)
6.2 Fusos horários e sistema de orientação: pontos cardeais e colaterais
D85 - Relacionar a forma da Terra e o movimento de rotação com a definição de horários
locais. (G)
D86 - Aplicar, a partir de um planisfério, os fusos horários para estabelecer diferenças
horárias entre localidades. (G)
6.3 Tipos de mapas temáticos
D87 - Interpretar cartogramas, cartodiagramas, anamorfoses geográficas e mapas de
isolinhas (isotermas, isoietas e isóbaras). (O)