ATENÇÃO



Querido companheiro de profissão, se você se interessar por alguma postagem e não conseguir uma boa impressão envie-me e-mail que ficarei feliz em compartilhar. Abraço.
profclaugeo@yahoo.com.br

Atividades de Historia e Geografia

Nos sites abaixo você encontra todos os meus arquivos em doc word.

Visite


Entre para o grupo

Curriculo Básico Comum(CBC)

Encontre aqui o CBC, Orientações pedagógicas para suas aulas e Roteiros de atividades.
Clique no link abaixo:
http://crv.educacao.mg.gov.br/sistema_crv/index2.aspx??id_objeto=23967

25 de jul de 2012

Atividades de Língua Portuguesa

E.E.”Dr JOAQUIM VILELA”
AVALIAÇÂO DE LÍNGUA PORTUGUESA / 2012                               
ALUNO (A):_______________________________________________Nº___               SÉRIE:
 PROFESSOR: ________________________________VALOR: _____          BOA SORTE!!!
 Segunda-feira, 15 de agosto de 2011
Egoísmo chimpanzé: anomalia evolutiva ou restrições metodológicas? Marco Varella
Nossos parentes mais próximos, os chimpanzés, estão no centro de um debate sobre as origens evolutivas do comportamento altruísta. É sabido que nós humanos ajudamos os outros de forma espontânea, sem benefício próprio imediato. E é crescente a evidência de que o mesmo também acontece em macacos do Novo Mundo, como os macacos-pregos e saguis.
Entretanto, o caso dos chimpanzés é ambíguo. Por um lado, a observação direta de animais em vida livre e cativos indicaram a existência de inclinações altruístas, como no caso de compartilhamento de comida, consolo de animais aflitos, várias outras formas de empatia. Por outro lado, estudos controlados em laboratórios não encontraram evidências altruístas consistentes. Em nome do rigor cientifico, mais peso é dado para experimentos controlados de laboratórios. Então, conclui-se que os chimpanzés são insensíveis ao bem-estar alheio. Isso criaria uma anomalia evolutiva. Esse desaparecimento pontual de uma propensão importante para a vida social disseminada entre os primatas seria no mínimo misterioso.
No entanto, o próprio rigor científico faz com que sejam apontados inúmeros problemas metodológicos quanto aos testes padronizados de comportamento social altruísta. Buscando resolver esse dilema, o famoso primatólogo Frans de Waal e seus colaboradores da Universidade Emory em Atlanta, a Geórgia (EUA), desenvolveram um outro teste controlado e realizaram um estudo de laboratório que mostrou concordância com as observações de campo. Ou seja, nossos parentes mais próximos também têm tendências altruístas.
Veja a reportagem que publicamos hoje explicando os detalhes da pesquisa que saiu hoje na revista científicas “PNAS”: “Fêmeas de chimpanzés gostam de ajudar as demais, diz estudo.”
Mais uma vez vemos o exercício do pensamento crítico na ciência em ação. Suspende-se o julgamento quando não se tem provas suficientes. Conclui-se provisoriamente baseado em provas, mesmo que isso vá contra nossas primeiras impressões. E muda-se de posição com as devidas proas em contrário.

 Chimpanzés
Sagui
 ATIVIDADES SOBRE O TEXTO
1. Qual é o gênero textual?

2. Qual é o assunto? E qual é o tema?

3. Qual é a sua função?

4. Qual é a tese defendida?

5. Identifique, no texto, palavras ou expressões usadas no meio científico para abordar o fato de os chimpanzés terem comportamento altruísta?

6. O texto dissertativo-argumentativo faz uso de dois tipos básicos de conclusão: a conclusão-resumo, que retoma as ideias do texto, e a conclusão-sugestão, em que são feitas propostas para a solução de problemas. Que tipo de conclusão o texto em estudo apresenta?

 7. O desenvolvimento é formado pelos parágrafos que fundamentam a tese. Normalmente em cada parágrafo é apresentado e desenvolvido um argumento. Cada argumento pode ser desenvolvido por meio de procedimentos. Reconheça no desenvolvimento do texto, o parágrafo em que é feito o uso de:
a) Comparação.                                                 b) Alusão história.
c) Citação.                                                      d) Exemplificação.
e) Oposição ou contraste.                                       f) Definição.
g) Apresentação de dados estatísticos.                          h) Relação de causa e efeito.
8. Observe a linguagem do texto e responda
a) Que tempo e modos verbais são predominantes?


b) Qual é a variedade linguística empregada?
c) A linguagem é predominantemente pessoal ou impessoal? Justifique sua resposta com base na pessoa do discurso, nas formas verbais e nos pronomes empregados.

d) O texto revela maior preocupação com a expressividade, com a emotividade ou com a precisão das informações.
9. “Isso criaria uma anomalia evolutiva.” A palavra destacada refere-se:
a) Ao fato dos chimpanzés serem insensíveis ao bem-estar alheio.
b) Ao peso dado para experimentos controlados de laboratórios.
c) Ao fato dos chimpanzés serem ambíguos.
d) Às inclinações altruístas presentes nos macacos.
10. “Ou seja, nossos parentes mais próximos também têm tendências altruístas.” A expressão destacada refere-se a:
a) Frans de Waal e seus colaboradores.
b) O famoso primatólogo Frans de Waal.
c) Os colaboradores da Universidade Emory.
d) Os chimpanzés.
11. “E é crescente a evidência de que o mesmo também acontece em macacos do novo mundo...” A palavra destacada da ideia de:
a) Oposição.   c) Adição.
b) Dúvida.      d) Tempo.
12. Na frase: “Fêmeas de chimpanzés gostam de ajudar as demais, diz estudo.” As aspas foram usadas para:
a) Indicar dúvida.
b) Enfatizar.
c) Reproduzir a fala de alguém no discurso direto
d) Indicar discurso indireto.


E.E.”Dr JOAQUIM VILELA”
AVALIAÇÂO DE LÍNGUA PORTUGUESA / 2012                               
ALUNO (A):_______________________________________________Nº___               SÉRIE:
 PROFESSOR: ________________________________VALOR: _____          BOA SORTE!!!
 Segunda-feira, 15 de agosto de 2011
Egoísmo chimpanzé: anomalia evolutiva ou restrições metodológicas? Marco Varella
Nossos parentes mais próximos, os chimpanzés, estão no centro de um debate sobre as origens evolutivas do comportamento altruísta. É sabido que nós humanos ajudamos os outros de forma espontânea, sem benefício próprio imediato. E é crescente a evidência de que o mesmo também acontece em macacos do Novo Mundo, como os macacos-pregos e saguis.
Entretanto, o caso dos chimpanzés é ambíguo. Por um lado, a observação direta de animais em vida livre e cativos indicaram a existência de inclinações altruístas, como no caso de compartilhamento de comida, consolo de animais aflitos, várias outras formas de empatia. Por outro lado, estudos controlados em laboratórios não encontraram evidências altruístas consistentes. Em nome do rigor cientifico, mais peso é dado para experimentos controlados de laboratórios. Então, conclui-se que os chimpanzés são insensíveis ao bem-estar alheio. Isso criaria uma anomalia evolutiva. Esse desaparecimento pontual de uma propensão importante para a vida social disseminada entre os primatas seria no mínimo misterioso.
No entanto, o próprio rigor científico faz com que sejam apontados inúmeros problemas metodológicos quanto aos testes padronizados de comportamento social altruísta. Buscando resolver esse dilema, o famoso primatólogo Frans de Waal e seus colaboradores da Universidade Emory em Atlanta, a Geórgia (EUA), desenvolveram um outro teste controlado e realizaram um estudo de laboratório que mostrou concordância com as observações de campo. Ou seja, nossos parentes mais próximos também têm tendências altruístas.
Veja a reportagem que publicamos hoje explicando os detalhes da pesquisa que saiu hoje na revista científicas “PNAS”: “Fêmeas de chimpanzés gostam de ajudar as demais, diz estudo.”
Mais uma vez vemos o exercício do pensamento crítico na ciência em ação. Suspende-se o julgamento quando não se tem provas suficientes. Conclui-se provisoriamente baseado em provas, mesmo que isso vá contra nossas primeiras impressões. E muda-se de posição com as devidas proas em contrário.

 Chimpanzés
Sagui
 ATIVIDADES SOBRE O TEXTO
1. Qual é o gênero textual?

2. Qual é o assunto? E qual é o tema?

3. Qual é a sua função?

4. Qual é a tese defendida?

5. Identifique, no texto, palavras ou expressões usadas no meio científico para abordar o fato de os chimpanzés terem comportamento altruísta?

6. O texto dissertativo-argumentativo faz uso de dois tipos básicos de conclusão: a conclusão-resumo, que retoma as ideias do texto, e a conclusão-sugestão, em que são feitas propostas para a solução de problemas. Que tipo de conclusão o texto em estudo apresenta?

 7. O desenvolvimento é formado pelos parágrafos que fundamentam a tese. Normalmente em cada parágrafo é apresentado e desenvolvido um argumento. Cada argumento pode ser desenvolvido por meio de procedimentos. Reconheça no desenvolvimento do texto, o parágrafo em que é feito o uso de:
a) Comparação.                                                 b) Alusão história.
c) Citação.                                                      d) Exemplificação.
e) Oposição ou contraste.                                       f) Definição.
g) Apresentação de dados estatísticos.                          h) Relação de causa e efeito.
8. Observe a linguagem do texto e responda
a) Que tempo e modos verbais são predominantes?


b) Qual é a variedade linguística empregada?
c) A linguagem é predominantemente pessoal ou impessoal? Justifique sua resposta com base na pessoa do discurso, nas formas verbais e nos pronomes empregados.

d) O texto revela maior preocupação com a expressividade, com a emotividade ou com a precisão das informações.
9. “Isso criaria uma anomalia evolutiva.” A palavra destacada refere-se:
a) Ao fato dos chimpanzés serem insensíveis ao bem-estar alheio.
b) Ao peso dado para experimentos controlados de laboratórios.
c) Ao fato dos chimpanzés serem ambíguos.
d) Às inclinações altruístas presentes nos macacos.
10. “Ou seja, nossos parentes mais próximos também têm tendências altruístas.” A expressão destacada refere-se a:
a) Frans de Waal e seus colaboradores.
b) O famoso primatólogo Frans de Waal.
c) Os colaboradores da Universidade Emory.
d) Os chimpanzés.
11. “E é crescente a evidência de que o mesmo também acontece em macacos do novo mundo...” A palavra destacada da ideia de:
a) Oposição.   c) Adição.
b) Dúvida.      d) Tempo.
12. Na frase: “Fêmeas de chimpanzés gostam de ajudar as demais, diz estudo.” As aspas foram usadas para:
a) Indicar dúvida.
b) Enfatizar.
c) Reproduzir a fala de alguém no discurso direto
d) Indicar discurso indireto.